sexta-feira, 26 de outubro de 2007

Conjecturando...

O tema avaliação é muito discutido na área educacional. Independente da modalidade, tanto estudantes quanto professores sentem dificuldade nesta ação pedagógica.

Muito se tem falado na avaliação formativa, contínua, processual como o modelo mais ajustável ao processo de aprendizagem. No entanto, a própria discussão do que seja processo de ensino-aprendizagem tem sido ressignificada.

Tem-se proposto que a avaliação visualize, considere o processo, o meio da caminhada. Mas entender a valiação assim menospreza outras etapas como o início e o fim de um dado sistema.

Por isso, entendo que a avaliação diagnóstica, que visa identificar perfis, possibilidades e limitações faz-se necessária não a fim de por aí culpabilizar o educando, mas encaminhá-lo apartir do que se percebe neste início.

Da mesma forma, avaliações finais ou prognósticas permitem ao educador e educando a visibilidade do fechamento de um ciclo. Obviamente não se refere ao término da aprendizagem, pois aqui se traria um paradoxo para a aprendizagem significativa que caminha para além da sala de aula presencial ou virtual.

A meu ver, processo diz respeito a início, meio e fim. Deste modo, a avaliação precisa percorrer todos estes caminhos. Isso não tira de foco a também necessidade de se discutir a metodologia, as estratégias, os intrumentos e a postura mais adequados à aplicação ou vivência da avalaição nestas etapas.

Você concorda com a avaliação ao final do processo?

5 comentários:

Gilson Castadelli disse...

Oi Jucineide

Acredito que o aluno deva se perceber como parte integrante do processo de ensino-aprendizagem: desde o começo, no meio e no fim. Como você mesmo coloca!

Ontem tive uma experiência com uma turma que já está se formando no 8º termo de BSI - Bacharelado em sistemas de Informação.

Pois bem, durante um bate-papo na sala de aula, perguntei a eles que indicassem 1 ponto forte e 1 ponto fraco do curso que estão terminando:

Olha que interessante: A grande maioria percebeu apenas pontos fracos e dentro de uma criticidade extrema pode-se dizer.

Pois bem, comecei então a conduzir a argumentação e perguntar sobre o quanto eles mesmos contribuíram para sua formação?

Veja que interessante, notaram que agora que "O bicho vai pegar" - Mercado de trabalho - sentem-se despreparados.

Acho que isso é até natural pois está chegando a hora da verdade!

Mas o que concluo de tudo isso, tanto alunos como professores como as práticas pedagógicas devem mudar as regras. O pacto tem que estar claro no processo de aprendizagem desde o início no curso. E finalmente o aluno deve se perceber e desenvolver sua crítica e auto-crítica desde o início.

Caso contrário será sempre aquele show de "tirar o meu da reta".

Valeu Jucineide

Um abraço e bom trabalho! Parabéns pelo site

Gilson Castadelli

Silvana Martinski disse...

Não Jucineide! Eu não concordo com a avaliação no final do processo. Acho um deperdício de tempo e valor agregado. Estou em busca de uma escola para minha filha que vai para o 1º ano dos 9 anos... e sempre que pergunto qual o método de avaliação da escola, eles me respondem que o método é durante todo o processo e que no final eles apresentam um conceito sobre o processo de aprendizagem da criança. Considero que agora é uma tendência essa forma de avaliar. Pois tive a mesma resposta em diversas escolas...
Creio que quem avalia só no final jamais terá um resultado signicativo de TODO o processo.
Um abraço
Silvana Martinski

Alisandra C. Fernandes disse...

"Momento de Reflexão"

Gostaria qe juntos podessemos analisar os pontos acima mencionados. Acredito que dessa maneira iremos construir algumas diretrizes para avaliar melhor essa ferramenta.

1) Comparar o CHAT com as outras ferramentas: Quais são as diferenças com outras ferramentas como fóruns, wikis, listas...?


2) Desenvolver as principais importâncias do chat: quais são suas vantagens? Quais os aspectos podem ser explorados?

3) Refletir sobre os problemas: Como criar introduzir um tema? Como um Chat pode ser melhor planejado: entrevista ou auto-dirigido?


4) Pesquisar os casos e soluções: Em quais universidades ou instituições de ensino o chat foi utilizado com sucesso? Quais principais problemas enfrentados?

5) Sugerir formas de uso: Quais tecnologias podem ser aplicadas conjuntamente?

Aguardo sua resposta lá no meu blog
http://eadalisandra.blogspot.com/
Alisandra

Anônimo disse...

Oi Jucineide, seu blog, assim como você, é uma simpatia!
Avaliar só no final não é uma boa estratégia, pois além do acumulo de informações para o aluo, o professor não terá o resultado que realmente espera que é saber se o aluno conseguiu ou não aprender alguma coisa ou se apenas memorizou o que lhe foi ensinado.
Abs,
Cirlane - mestranda Unopar

Jucineide Carvalho disse...

Obrigada Gilson, Silvana, Alisandra, Cirlane, Márcio...
Observem que que o nosso questionamento diz respeito principalmente a um momento da avaliação. Entendo que como Gilson reforçou o final também é parte da avaliação. Portanto, avaliar ao final também é necessário.